Filosofia Contemporânea

A Fenomenologia no Oeste do Paraná:: Retrato de uma comunidade

  • Autor(es): KAHLMEYER-MERTENS Roberto S.;
  • Ano: 2018
  • ISBN: 978-85-92670-53-5
  • Edição: 1
  • Páginas: 438
  • Sumário: Download
Gratuito

Sinopse

PREFÁCIO
Retrato de uma comunidade



O projeto da fenomenologia como um fazer de rigor, já na aurora do século XX, foi concebido como um empreendimento coletivo. Isto não se deveria ? em absoluto ? à presumida falta de vigor ou de motivação por parte de seu iniciador, Edmund Husserl, que, desejando fazer vulto com a força do número, apostaria no argumento da coletividade. Foi apenas por reconhecer o extenso rol de tarefas que, doravante, competiriam à fenomenologia, que Husserl prezou pelo trabalho cooperativo, reunindo em comunidade toda uma plêiade de pesquisadores interessados em familiarizar-se com tal método, ganhar sua atitude e, enfim, operar uma filosofia fenomenológica.
Nos decênios que se seguiram àquele marco inaugural, entre Göttingen e Munique, e a meio caminho entre uma escola e um movimento, o que indubitavelmente vemos é um modo de pensar moldado por muitas mãos. Desta sorte, as potencialidades reveladas pela fenomenologia ofereceram um renovo ao pensamento atual, a ponto mesmo de podermos afirmar, sem favor algum, que a fenomenologia é matriz influente na cunhagem daquilo que hoje se usa chamar de filosofia contemporânea. Evidência disto é a ampla difusão desse modo de pensar tanto em terreno filosófico quanto em outras áreas do saber e, ainda, seu real contributo ao pensamento filosófico, constituindo subsídio à apropriação de seus novos problemas e à retomada dos antigos, e incrementando o pensamento de autores filósofos e pesquisadores comprometidos em haver-se com o que, afinal, é filosoficamente digno de questão.
É a indicação de que as pesquisas fenomenológicas se perfizeram em comunidade, desde sua primeira hora, que nos faz crer que um empreendimento de estudos acerca dessa matéria, mesmo hoje, no Brasil, em muito se beneficiaria desse formato. Assim, nossa reunião de docentes pesquisadores versados em fenomenologia com seus aprendizes nessa matéria e a colaboração de todos aqueles que desejariam se somar a tal empreendimento, muito mais do que um projeto temático no seio de uma instituição de ensino superior ou mesmo de um grupo de trabalho interinstitucional, compreende o cultivo de uma cultura fenomenológica na qual estaríamos, nos moveríamos e nos ateríamos à coisa do pensamento. Compreender esse ponto é crucial, pois deixa patente o quanto uma comunidade como a em apreço põe-se acima de vínculos formais e exigências burocráticas de formatação; isso porque um grupo amalgamado em torno a uma cultura filosófico-fenomenológica deve constituir, antes de tudo, uma comunidade promovida pelo firme propósito de difundir a fenomenologia como instrumento de um filosofar consistente e fidedigno.
Ao editarmos, portanto, um livro intitulado A Fenomenologia no Oeste do Paraná, julgamos trazer a público o registro de alguns traços característicos de uma comunidade fenomenológica em consolidação. Os esforços (desenvolvidos mais intensivamente nos últimos cinco anos) por firmar na UNIOESTE um trabalho de pesquisa em fenomenologia (e que acabaram por resultar, também na nucleação dos estudos de fenomenologia no Programa de Pós-Graduação em Filosofia dessa instituição), no ano de 2017, foram coroados com a realização de um tríplice evento acadêmico no campus de Toledo-PR da UNIOESTE.
Do referido evento, integrado pelo II Encontro Nacional de Fenomenologia; V Encontro do GT de Fenomenologia da ANPOF e pela X Jornada de Metafísica e Conhecimento do Programa de Pós-Graduação em Filosofia da UNIOESTE, é proveniente a maioria dos textos que o presente livro compendia. Coligidos em sua forma mais elaborada, os escritos aqui consignados constituem capítulos e informam, em caráter técnico-científico, o atual estado das pesquisas dos discentes de pós-graduação (mestrado e doutorado), de diversas instituições de ensino e pesquisa do Paraná e de outros estados do país, que tomaram parte naquela atividade acadêmica.
Recolha dos trabalhos apresentados durante o dia 5 de julho de 2017, a presente edição ? que não se pretende como caderno de atas ou livro de anais ? enfeixa em capítulos tais escritos sem fazer distinção entre temas e pensadores estudados, graus acadêmicos, vinculações institucionais ou filiação a orientadores. Elencados segundo a imparcial ordem alfabética, a única identidade considerada aqui ? a mesma que justifica a presença desses articulistas na presente publicação ? foi a vinculação ao trabalho fenomenológico sério e o ímpeto de cooperar com a divulgação desse modo de pensar em âmbito regional e nacional.
Ao fim deste prefácio ? sem conceder que um demorado parágrafo final adie por mais tempo a leitura ? aproveitamos para penhorar nossos agradecimentos ao GT de Fenomenologia da ANPOF, que, além de apoiar as iniciativas de pesquisa em fenomenologia desenvolvidas na UNIOESTE, serve de referência ao padrão de excelência por nós pretendido. Somos gratos ao Programa de Pós-Graduação em Filosofia da UNIOESTE ? PPGFIL, que, sempre se comprazendo em ver o crescimento e a intensificação das pesquisas nessa matéria na UNIOESTE, mostra-se incansavelmente solícito em apoiar e fomentar as iniciativas de seus pesquisadores de fenomenologia. Ao fim, registramos gratidão à Editora Vivens, que, além de acolher de bom grado este título entre os de seu catálogo, muito agregou com a dedicação de atenção e de zelo em todas as etapas da edição.

Os organizadores

Mais Itens